Páginas

Pesquisar este blog

Sejam Bem Vindos!

Este espaço também é seu.

sábado, 25 de dezembro de 2010

Salário do professor no Brasil é o 3º pior do mundo


O professor brasileiro de primário é um dos que mais sofre com os baixos salários, mostra pesquisa feita em 40 países pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) divulgada ontem, em Genebra, na Suíça. A situação dos brasileiros só não é pior do que a dos professores do Peru e da Indonésia.Um brasileiro em início de carreira, segundo a pesquisa, recebe em média menos de US$ 5 mil por ano para dar aulas. Isso porque o valor foi calculado incluindo os professores da rede privada de ensino, que ganham bem mais do que os professores das escolas públicas. Além disso, o valor foi estipulado antes da recente desvalorização do real diante do dólar. Hoje, esse resultado seria ainda pior, pelo menos em relação à moeda americana.Na Alemanha, um professor com a mesma experiência de um brasileiro, ganha, em média, US$ 30 mil por ano, mais de seis vezes a renda no Brasil. No topo da carreira e após mais de 15 anos de ensino, um professor brasileiro pode chegar a ganhar US$ 10 mil por ano. Em Portugal, o salário anual chega a US$ 50 mil, equivalente aos salários pagos aos suíços. Na Coréia, os professores primários ganham seis vezes o que ganha um brasileiro.Com os baixos salários oferecidos no Brasil, poucos jovens acabam seguindo a carreira. Outro problema é que professores com alto nível de educação acabam deixando a profissão em busca de melhores salários.O estudo mostra que, no País, apenas 21,6% dos professores primários têm diploma universitário, contra 94% no Chile. Nas Filipinas, todos os professores são obrigados a passar por uma universidade antes de dar aulas.A OIT e a Unesco dizem que o Brasil é um dos países com o maior número de alunos por classe, o que prejudica o ensino. Segundo o estudo, existem mais de 29 alunos por professor no Brasil, enquanto na Dinamarca, por exemplo, a relação é de um para dez.
Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o salário médio do docente do ensino fundamental em início de carreira no Brasil é o terceiro mais baixo do mundo, no universo de 38 países desenvolvidos e em desenvolvimento. O salário anual médio de um professor na Indonésia é US$ 1.624, no Peru US$ 4.752 e no Brasil, US$ 4.818, o equivalente a R$ 11 mil. A Argentina, por sua vez, paga US$ 9.857 por ano aos professores, cerca de R$ 22 mil, exatamente o dobro. Por que há tanta diferença?
Fonte: Jornal do Commercio - Rio de Janeiro (15/11/2008)

Mais Atividades NATALINAS

ATIVIDADES NATALINAS





Natal





quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

FIQUE DE OLHO!

Moradores afirmam que 50 bandidos cariocas estariam no Morro da Coruja, em Neves. Pelo menos outros 15 suspeitos teriam chegado de van à comunidade do Jacaré, em Piratininga

Dezenas de traficantes do Rio teriam migrado na madrugada desta segunda-feira para favelas de Niterói e São Gonçalo. Pelo menos quinze bandidos, oriundos do Jacarezinho, estariam escondidos em uma comunidade de Piratininga. Em São Gonçalo, informações dão conta que 50 criminosos, também oriundos de favelas cariocas, teriam chegado na madrugada desta segunda-feira ao Morro da Coruja, em Neves.

O delegado titular da 81ª DP (Itaipu), Adilson Palácio, afirmou que já está investigando a denúncia que traficantes oriundos da Favela próxima a Benfica, teriam migrado para a comunidade do Jacaré, na Região Oceânica. Moradores teriam visto um veículo utilitário, com bandidos armados, entrando na comunidade, pertencente à facção criminosa Comando Vermelho (CV), a mesma que controla a favela no Rio.

“Recebi essa informação que viram uma van entrando na comunidade do Jacaré. Não sei se é, de fato, do Jacarezinho, ou de outra localidade. Nosso departamento de investigações está levantando informações e assim que tivermos algumas posições concretas, iremos nos mobilizar para a realização de alguma operação”, informou Palácio.

O delegado, no entanto, não crê que a suposta migração tenha a ver com a ação dos traficantes que promoveram ataques do Complexo do Alemão.

“Sei que a especulação existe, mas não acredito que se ocorreu essa migração, tenha sido motivada pelos últimos dias. Se ocorreu, é algo planejado pelos bandidos que são da mesma facção”, avaliou.

O delegado pede que a população ajude com informações. “É imprescindível que moradores que saibam de informações possam ligar para a delegacia ou para o Disque-Denúncia. Que tomem de exemplo o que ocorreu no Complexo do Alemão. Denunciem e ajudem a pacificar suas comunidades”, finalizou.

São Gonçalo – Na cidade vizinha, moradores do Morro da Coruja também denunciam a migração de bandidos oriundos do Rio. O titular da 73ªDP (Neves), Luiz Antônio Ferreira, porém, afirmou que ainda não confirmou as denúncias.

“Há muito boato girando em torno de possíveis fugas dos criminosos do Complexo do Alemão para qualquer lugar de Niterói e São Gonçalo, claro, estariam na rota de fuga. Mas, por enquanto, não há nada de concreto”, garantiu.

Batalhões fazem varredura

PMs dos batalhões de São Gonçalo e Niterói contribuíram para a apreensão de mais de 40 toneladas de maconha durante a operação no Complexo do Alemão. O primeiro foi responsável pela apreensão de 23 toneladas de maconha.

“Nosso efetivo de cerca de 30 homens conseguiu localizar essa quantidade entre o Largo do Bulufa e o Largo do Coqueiro”, disse o comandante do 7º BPM, tenente-coronel Cláudio Luiz Silva de Oliveira. Além das drogas, armas de grosso calibre foram apreendidas pelos militares, incluindo um fuzil .50, capaz de derrubar aeronaves.

Já o efetivo do 12º BPM apreendeu meia tonelada de maconha, além de três granadas, um fuzil calibre 762 e outro .30, cerca de 50 carregadores de fuzil, pistolas e mais de mil munições.

O governador Sérgio Cabral afirmou ontem, durante a abertura do fórum sobre infraestrutura da Olimpíada Rio 2016, em Copacabana, no Rio, que as Forças Armadas e as polícias do Rio continuarão ocupando o Alemão até que seja implementada a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) naquela comunidade.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Polícia investiga migração de traficantes no RJ

Pedro Dantas - 12/11/2010 - 18:35

A migração de traficantes do Rio de Janeiro para cidades do interior e região metropolitana do Estado está preocupando as autoridades. Um dos "gerentes" do tráfico da Favela do Jacarezinho, na zona norte do Rio, já identificado pela polícia, "arrendou" a boca de fumo na pequena comunidade do Morro do Rato Molhado, onde vivem cera de 250 famílias, em Itaipu, na Região Oceânica de Niterói (região metropolitana). Ele também ordenou que seus comparsas fizessem um "censo" para levantar os parentes e informantes de policiais que moram no local. A notícia espalhou medo na até então pacata favela, próxima a condomínios de classe média alta da região.
"A informação é que o tráfico teria elaborado uma lista de possíveis informantes da polícia. Agora, estamos investigando a notícia desta migração. Por enquanto, não constatamos a presença deles no nosso dia-a-dia, mas trata-se de uma região de alto poder aquisitivo cobiçada pelo tráfico de drogas", disse o delegado titular da 81ª Delegacia de Polícia de Itaipu, Adilson Palácio.
Na subida do morro, a inscrição "Rato CV" indica que a favela está dominada por traficantes do Comando Vermelho, que também dariam as ordens nas favelas do Jacaré, em Piratininga e Inferninho e Caniçal, em Itaipu. A Polícia Militar intensificou o patrulhamento da região, que os moradores julgam insuficiente. Com medo de se identificar, a maioria acredita que as cidades de Niterói e São Gonçalo sofrem os efeitos colaterais das ocupações por Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) nos morros na zona sul e na zona norte do Rio, antes dominados pela mesma facção criminosa.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

DUPLA REGÊNCIA EM NITERÓI

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
Atos do Presidente
ASSEGURA AOS SERVIDORES DA FME OPTANTES PELO RET E PELA DUPLA
REGÊNCIA AS VANTAGENS QUE MENCIONA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
O Presidente da Fundação Municipal de Educação, no uso de suas atribuições legais e
estatutárias,
Considerando a garantia constitucional de que trata o art. 7º, incisos VIII e XVII c/c § 3.º
do art. 39 da CRFB e o disposto na Lei Municipal n.º169, de 18 de dezembro de 1978 e
nos Decretos Municipais n.º 9782, de 09 de março de 2006, n.º. 6362, de 29 de maio de
1992, alterado pelo Decreto Municipal n.º 6481, de 27 de outubro de 1992,
R E S O L V E:
Art 1° - Fica assegurado aos servidores públicos integrantes do Grupo do Magistério e do
Grupo Técnico Científico da Fundação Municipal de Educação – FME que trabalham em
Regime Especial de Trabalho – RET e em Regime de Dupla Regência o direito a
percepção de Décimo Terceiro e de Abono de 1/3 (um terço) de férias.
Parágrafo único- O abono de férias de que trata o caput deste artigo somente será devido
ao servidor integrante do Grupo do Magistério em regência de turma que cumprir os
referidos regimes durante todo ano letivo. No caso dos demais servidores integrantes do
Grupo do Magistério e do Técnico Científico o abono de férias somente será devido se
cumpridos os regimes durante 12(doze) meses.
Art 2° - Os casos omissos serão resolvidos pela Presidência da FME.
Art 3° - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições
em contrário (Port. FME nº 887).

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

SAIU NO FLUMINENSE

Prefeitura de Niterói quer contratar funcionários sem realizar concurso
3.923075
Tamanho da fonte: A- A+ Por: Thaís Sousa 23/09/2010
Município pede a aprovação de projeto de lei que permite chamar profissionais por até três anos sem seleção. Autoridades alegam necessidade de contratações emergenciais

Uma iniciativa da Prefeitura de Niterói está gerando polêmica no funcionalismo público. O município encaminhou à Câmara Municipal, na última terça-feira, mensagem executiva em que pede a aprovação de um projeto de lei que autoriza o município a contratar funcionários sem necessidade de concurso público. Entidades de classe, no entanto, criticam duramente a proposta.

De acordo com Projeto de Lei, as contratações seriam pelo período de dois anos, podendo ser prorrogadas por mais um. O objetivo seria atender demandas urgentes das áreas de Saúde, Educação, Assistência à Infância e à Adolescência, além da execução de projetos e programas frutos de convênio com as demais esferas de governo.

Para o cientista político da Universidade Federal Fluminense (UFF) e especialista em administração pública, Cláudio Gurgel, além de se tratar de um Projeto de Lei questionável, o momento eleitoral é extremamente inadequado para esse tipo de proposta.

“Acredito que, em época que antecede eleições, um processo dessa natureza é muito inadequado. Além disso, abre precedentes os mais diversos tipos de dúvidas e especulações e a administração pública deve estar acima de qualquer suspeita. Contratos temporários são aceitáveis quando há justificativa e, mesmo assim, por um curto prazo, até que haja concurso”, opina Gurgel.

Na mensagem do projeto, a Prefeitura considera que, atualmente, “é sensível e imperiosa a necessidade de se prestar os serviços públicos essenciais, notadamente os de educação e de saúde a fim de se evitar solução de continuidade”. Mas, para as classes sindicais, a medida é absurda. O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência (Sindisprev), se posiciona contrariamente ao Projeto de Lei. A diretora da entidade Ivone Suppo defendem a contratação apenas através de concursos, como forma de garantir os direitos dos funcionários públicos.

“Nosso medo é de que esse projeto permita a prática do chamado ‘cabide de emprego’, com cargos comissionados ligados a grupos políticos. Precisamos, sim, de concursos públicos para a contratação de funcionários para o município. Mas a Prefeitura prefere resolver as coisas de maneira paliativa”, afirma.

A Associação dos Servidores Públicos Municipais da Saúde de Niterói (ASPMSN) também se opõe ao projeto. A presidente da entidade, Ilma Cordeiro, acredita que esse é mais um caso de desrespeito do município e que a aprovação do texto enfraqueceria ainda mais o funcionalismo público.

“Espero que os vereadores não deixem passar esse absurdo”, enfatiza.

Vereador diz que sobram profissionais que passaram por provas

Na Câmara Municipal, a mensagem executiva também é rejeitada por alguns parlamentares. O vereador Waldeck Carneiro (PT) foi um dos que de mostraram contrários ao projeto.
“O Brasil já avançou muito nessa questão de contratações por concursos para a Prefeitura de Niterói dar um passo atrás. Concurso é a porta de entrada no serviço público por qualificação e mérito”, defende.

O vereador ressalta que está sobrando profissionais concursados para a educação. Em maio deste ano, o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe-Niterói) deu entrada em Ação Civil Pública exigindo a contratação de profissionais que passaram em concurso e não foram chamados. Na época, a Prefeitura havia convertido 200 vagas temporárias em permanentes. No entanto, em vez de nomear profissionais aprovados no concurso vigente de 2008, o município efetivou os funcionários temporários.
A Prefeitura de Niterói diz que a Constituição autoriza contratações, sem concurso público, desde que indispensáveis ao atendimento de necessidade temporária de excepcional interesse público.

“No caso da Educação, em especial, por se tratar de uma pasta que possui um quadro de transitoriedade relacionada a alguns profissionais, a maioria do sexo feminino, o decreto vai permitir que se cubram lacunas que surgem intempestivamente, com o afastamento provisório como a gravidez, por exemplo. Isso porque não é permitido que se chame outro profissional visto que a vaga já está preenchida. Vale lembrar que esta contratação temporária só ocorrerá após esgotar todos os mecanismos utilizados na SME/FME, como o sistema de dupla regência e regime especial de trabalho, pois a prioridade na chamada é do profissional concursado”, ressalta o Executivo.

domingo, 19 de setembro de 2010

Assédio moral: uma violência contra o trabalhador

Qualquer situações de humilhação provocada por superiores no ambiente de trabalho é assédio moral!
O termo é recente, mas as ações praticadas são bem antigas. São situações que acontecem com freqüência causando, na vítima, sentimento de inferioridade, incapacidade e até mesmo culpa.
O assédio moral é uma violência porque pode causar no subordinado assediado problemas de saúde física e psíquica. Esse tipo de assédio, na maioria das vezes, pode acontecer sutilmente, como por exemplo, brincadeiras que desvalorizem e ridicularizem o profissional ou comentários que possam colocar em dúvida a capacidade profissional do subordinado; também pode acontecer através de atitudes mais visíveis, como agressão verbal, ameaça constante de demissão ou desvio de função para a qual o profissional foi contratado.
Mesmo sendo uma violência, o assédio moral não está previsto no Código Penal Brasileiro, o que impede que o agressor seja penalizado juridicamente. Segundo Mardônio da Silva Girão, professor de Direito, existem algumas leis específicas de entes políticos que tratam desse tema, mas essas leis aplicam-se apenas a servidores públicos. “Já existe um projeto de lei sobre assédio moral no trabalho, esse projeto já passou pela Comissão de Constituição e Justiça e Redação e aguarda para ser aprovado pelo Congresso Nacional, sendo aprovado pelo Congresso se tornará uma lei e então será possível penalizar o agressor”, explica o professor.
Mesmo não existindo uma lei que regulamente esse tipo de violência no trabalho, é importante a conscientização de que tais situações acontecem e que não podem ser aceitas. Muitos professores têm sido vítimas desse tipo de assédio e adoecem devido à pressão que sofrem por parte de muitas coordenações e direções. O importante é que a categoria esteja solidária e unida para combater essa forma de humilhação.

Exemplos citados por professores de identificação de assédio moral nas escolas
Exigência de produção sem apoio para qualificação;
Duplas mensagens - passam uma ordem e logo em seguida mudam;
O professor(a) entrega um relatório e o coordenador diz, na presença de colegas, que está uma porcaria;
“Convite” para reunião em dias não-letivos sem remuneração para o trabalho;
Redução da carga horária sem autorização do professor;
Discriminação devido a confessionalidade religiosa;
Ser ignorado nas reuniões, não ter direito a voz;
Ser tratado de maneira diferente em relação aos outros colegas;
Ser avaliado pela direção na presença dos(as) alunos(as).

A história do Boi-Bumbá

Em uma fazenda de gado, vivia um boi muito bonito que era querido por todos. Principalmente por seu dono, que o adorava.

Na fazenda trabalhava Chico e sua esposa que estava esperando um bebê.

Muito ciumento o dono da fazenda todos os dias, antes de dormir, falava para Chico:
- CUIDE BEM DO MEU BOI!

Certo dia, Catirina, esposa de Chico ficou com desejo de comer língua de boi, do boi mais bonito da fazenda, o boi de seu patrão.
- MARIDO, SE NÃO COMER A LÍNGUA DESSE BOI, SEU FILHO NASCERÁ COM CARA DE LÍNGUA.

Preocupado com seu filho, Chico atendeu ao pedido de Catirina e cortou a língua do boi que, com o ferimento, acabou morrendo.
Com medo do fazendeiro, Chico começou a chorar e cantar:
O MEU BOI MORREU
QUE SERÁ DE MIM
MANDA BUSCAR OUTRO
HÔ MANINHA
LÁ NO PIAUÍ...

Quando o fazendeiro descobriu, mandou os vaqueiros que trabalhavam em suas terras, caçarem negro Francisco que, assustado, saiu correndo ao encontro dos índios e do pajé para pedir ajuda.
DANÇA DOS ÍNDIOS E DO PAJÉ EM VOLTA DO BOI

O pajé conseguiu fazer com que o boi ficasse vivo e tivesse sua língua novamente deixando todos muito surpresos, inclusive o dono do boi.
Muito felizes porque Catirina comeu a língua e o boi ainda estava forte e bonito como sempre, todos fizeram uma grande festa para comemorar.

CARTA A POPULAÇÃO

Núcleo de Niterói
Av. Ernani do Amaral Peixoto, nº 450, sl/305, CEP: 24020-072 Niterói/RJ, Tels.: 2613-4710 e 2622-7762
e-mail: sepeniterói@yahoo.com.br / sepeniteroi@ig.com.br

Governo de Jorge Roberto Silveira obriga a Educação Pública de Niterói a entrar em greve!

Há cerca de um ano e meio, os profissionais de Educação da Rede Municipal vem tentando negociar com o governo a sua pauta de reivindicação e não conseguiram nenhuma resposta. Ao invés disso, este governo continua desviando as verbas da educação, fazendo compras superfaturadas e gastando milhões com projetos que envolvem compras de materiais sem licitação e que não atendem às necessidades reais das escolas deste município.
Diante da falta de respeito deste governo com esta categoria, que já vem sendo massacrada em seus direitos há mais de 20 anos, não houve outra saída a não ser entrar em GREVE!
Este governo que ataca a educação é o mesmo que há mais de 20 anos não investe na saúde pública de qualidade, não apresenta um projeto para habitação e permite que a população viva em constante estado de insegurança devido a violência.
Os problemas que essa categoria sofre são inúmeros. Além dos baixíssimos salários destes profissionais, as condições de trabalho são precárias, o que leva a um grande número de trabalhadores doentes fisicamente e psicologicamente por causa do assédio moral sofrido dentro das unidades escolares. O assédio moral é cometido pelas direções de escolas que apesar de eleitas para representarem a comunidade escolar, acabam por servir aos interesses dos representantes do governo. O assédio moral consiste na exposição dos trabalhadores a situações humilhantes para desestabilizá-los no seu ambiente de trabalho e na sua organização.
Por essas razões, a luta dos profissionais de educação representa o resgate da DIGNIDADE DO FUNCIONÁRIO E A MANUTENÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA DE QUALIDADE, que é um direito de todos!

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO:
01. Reposição das perdas salariais acumuladas que perfazem o total de 30%.
02. Aumento real de salário – piso de 5 salários para professores e 3,5 para funcionários.
03. Cumprimento da Lei Orgânica – triênio e 15% entre os níveis e classes.
04. Redução de carga horária para funcionários: 30 horas.
05. Abono de insalubridade para auxiliares de serviços gerais e periculosidade para merendeiras.
06. Equipamentos de segurança para os servidores da cozinha e auxiliares de serviços gerais.
07. Mudança da nomenclatura de merendeira para cozinheira com piso condizente a essa função.
08. Enquadramento automático por tempo de serviço e fim do interstício para formação continuada.
09. Abono das faltas por mobilização acumuladas desde 2006.
10. Não ao corte de ponto.
11. Não à avaliação externa.
12. Não aos projetos milionários impostos pela FME.
13. Não à ficha de avaliação por objetivos estabelecida pela FME.
14. Reposição só ser for de conteúdos.
15. Pelo retorno dos articuladores escolhidos pelas unidades escolares, pela autonomia político-pedagógica das escolas.
16. Não aos termos do próximo concurso público para a rede que, dentre outras coisas, apresenta a residência e o salário de 70% do piso da categoria.
17. Providências urgentes sobre a situação das escolas que estão fechadas por conta das conseqüências das chuvas.
18. Não à utilização das verbas de valorização do magistério para outros fins que não seja esse.

domingo, 5 de setembro de 2010

VOTE NA DILMA por Arnaldo Jabor

VOTE NA DILMA !
as promoções da época!

Vote na Dilma e ganhe, inteiramente gratis, um José Sarney de presente agregado ao Michel Temmer.

Mas não é só isso, votando na Dilma você também leva, inteiramente grátis (GRÁTIS???) um Fernando Collor de presente.

Não pense que a promoção termina aqui.

Votando na Dilma você também ganha, inteiramente grátis, um Renan Calheiros e um Jader Barbalho.

Mas atenção: se você votar na Dilma, também ganhará uma Roseana Sarney no Maranhão, uma Ideli Salvati em Santa Catarina e uma Martha Suplício em S.Paulo.

Ligue já para a Dirceu-Shop, e ganhe este maravilhoso pacote de presente: Dilma, Collor, Sarney pai, Sarney filho, Roseana Sarney, Renan Calheiros, Jáder Barbalho, José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoíno, e muito, muito mais, com um único voto.

E tem mais, você também leva inteiramente grátis, bonequinhos do Chavez, do Evo Morales, do Fidel Castro ao lado do Raul Castro, do Ahmadinejad, do Hammas e uma foto autografada das FARC´s da Colombia.
Isso sem falar no poster inteiramente grátis dos líderes dos bandidos "Sem Terra", Pedro Stedile e José Rainha, além do Minc com uniforme de guerrilheiro e sequestrador.

Ganhe, ainda, sem concurso, uma leva de deputados especialistas em mensalinhos e mensalões. E mais: ganhe curso intensivo de como esconder dinheiro na cueca, na meia, na bolsa ..., ministrado por Marcos Valério e José Adalberto Vieira da Silva e José Nobre Guimarães.

Tudo isto e muito mais..


TSE retira comentário do Arnaldo Jabor do Site da CBN


REPASSANDO

Leia o comentário de Dora Kramer, Estadão de Domingo:


'A decisão do TSE que determinou a retirada do comentário de Arnaldo Jabor do site da CBN, a pedido do presidente 'Lula' até pode ter amparo na legislação eleitoral, mas fere o preceito constitucional da liberdade de imprensa.

'Não deixem de ler e reler o texto abaixo e passem adiante'!


A VERDADE ESTÁ NA CARA, MAS NÃO SE IMPÕE.
(ARNALDO JABOR)

O que foi que nos aconteceu?
No Brasil, estamos diante de acontecimentos inexplicáveis, ou melhor,'explicáveis' demais.
Toda a verdade já foi descoberta, todos os crimes provados, todas as mentiras percebidas.
Tudo já aconteceu e nada acontece. Os culpados estão catalogados, fichados, e nada rola.
A verdade está na cara, mas a verdade não se impõe. Isto é uma situação inédita na História brasileira!!!!!!!
Claro que a mentira sempre foi a base do sistema político, infiltrada no labirinto das oligarquias, mas nunca a verdade foi tão límpida à nossa frente e, no entanto, tão inútil, impotente, desfigurada!!!!!!!!
Os fatos reais: com a eleição de Lula, uma quadrilha se enfiou no governo e desviou bilhões de dinheiro público para tomar o Estado e ficar no poder 20 anos!!!!
Os culpados são todos conhecidos, tudo está decifrado, os cheques assinados, as contas no estrangeiro, os tapes, as provas irrefutáveis, mas o governo psicopata de Lula nega e ignora tudo !!!!!
Questionado ou flagrado, o psicopata não se responsabiliza por suas ações. Sempre se acha inocente ou vítima do mundo, do qual tem de se vingar. O outro não existe para ele e não sente nem remorso nem vergonha do que faz !!!!!
Mente compulsivamente, acreditando na própria mentira, para conseguir poder. Este governo é psicopata!!! Seus membros riem da verdade, viram-lhe as costas, passam-lhe a mão nas nádegas. A verdade se encolhe, humilhada, num canto. E o pior é que o Lula, amparado em sua imagem de 'povo', consegue transformar a Razão em vilã, as provas contra ele em acusações 'falsas', sua condição de cúmplice e Comandante em 'vítima'!!!!!
E a população ignorante engole tudo.. Como é possível isso?
Simples: o Judiciário paralítico entoca todos os crimes na Fortaleza da lentidão e da impunidade. Só daqui a dois anos serão julgados os indiciados - nos comunica o STF.
Os delitos são esquecidos, empacotados, prescrevem. A Lei protege os crimes e regulamenta a própria desmoralização Jornalistas e formadores de opinião sentem-se inúteis, pois a indignação ficou supérflua. O que dizemos não se escreve, o que escrevemos não se finca, tudo quebra diante do poder da mentira desse governo.
Sei que este é um artigo óbvio, repetitivo, inútil, mas tem de ser escrito...
Está havendo uma desmoralização do pensamento.
Deprimo-me:
Denunciar para quê, se indignar com quê? Fazer o quê?'
A existência dessa estirpe de mentirosos está dissolvendo a nossa língua. Este neocinismo está a desmoralizar as palavras, os raciocínios. A língua portuguesa, os textos nos jornais, nos blogs, na TV, rádio, tudo fica ridículo diante da ditadura do lulo-petismo.
A cada cassado perdoado, a cada negação do óbvio, a cada testemunha, muda, aumenta a sensação de que as idéias não correspondem mais Aos fatos!!!!!
Pior: que os fatos não são nada - só valem as versões, as manipulações.
No último ano, tivemos um único momento de verdade, louca, operística, grotesca, mas maravilhosa, quando o Roberto Jefferson abriu a cortina do país e deixou-nos ver os intestinos de nossa política.
Depois surgiram dois grandes documentos históricos: o relatório da CPI dos Correios e o parecer do procurador-geral da república. São verdades cristalinas, com sol a Pino.
E, no entanto, chegam a ter um sabor quase de 'gafe'.
Lulo-Petistas clamam: 'Como é que a Procuradoria Geral, nomeada pelo Lula, tem o desplante de ser tão clara! Como que o Osmar Serraglio pode ser tão explícito, e como o Delcídio Amaral não mentiu em nome do PT ? Como ousaram ser honestos?'
Sempre que a verdade eclode, reagem.
Quando um juiz condena rápido, é chamado de exibicionista'. Quando apareceu aquela grana toda no Maranhão (lembram, filhinhos?), a família Sarney reagiu ofendida com a falta de 'finesse' do governo de FH, que não teve a delicadeza de avisar que a polícia estava chegando....
Mas agora é diferente.
As palavras estão sendo esvaziadas de sentido. Assim como o stalinismo apagava fotos, reescrevia textos para contestar seus crimes, o governo do Lula está criando uma língua nova, uma neo-língua empobrecedora da ciência política, uma língua esquemática, dualista, maniqueísta, nos preparando para o futuro político simplista que está se consolidando no horizonte.
Toda a complexidade rica do país será transformada em uma massa de palavras de ordem , de preconceitos ideológicos movidos a dualismos e oposições, como tendem a fazer o Populismo e o simplismo.
Lula será eleito por uma oposição mecânica entre ricos e pobres, dividindo o país em 'a favor' do povo e 'contra', recauchutando significados que não dão mais conta da circularidade do mundo atual. Teremos o 'sim' e o 'não', teremos a depressão da razão de um lado e a psicopatia política de outro, teremos a volta da oposição Mundo x Brasil, nacional x internacional e um voluntarismo que legitima o governo de um Lula 2 e um Garotinho depois.
Alguns otimistas dizem: 'Não... este maremoto de mentiras nos dará uma fome de Verdades'!


ESSE TEXTO PRECISA E DEVE SE TRANSFORMAR NA MAIOR CORRENTE QUE A INTERNET JÁ VIU !!!



TSE determinou a retirada do comentário de Arnaldo Jabor do site da CBN.

Não deixe de repassar é o mínimo que podemos fazer diante de tanta corrupção!

Posicionamento do Pr. Paschoal Piragine Jr sobre as eleições 2010.

BOLETIM SEPE-NITERÓI

Av: Amaral Peixoto 450/305, Fone: (21- 26227762)

sepeniteroi@yahoo.com.br



EDUCAÇÃO MUNICIPAL VOTA GREVE EM ASSEMBLÉIA!

Desde o dia 01 de julho os profissionais da educação da Rede Municipal estão em Estado de Greve em luta contra os ataques do Governo Jorge Roberto do PDT e seu aliado Cláudio Mendonça presidente da Fundação Municipal de Educação, inimigos históricos da educação que mantém uma política de aprofundamento do projeto de privatização na Rede municipal e Estadual.

Ao longo desse tempo que a categoria está em luta. Tivemos paralisações assembléias e audiências com o governo, as quais não avançaram em nada nas nossas reivindicações. O governo então avança e lança o maior ataque a categoria: a homologação da lei “Adote uma escola”, que na sua totalidade era uma lei que privatizava a educação, colocando nas mãos da iniciativa privada a administração das nossas escolas. Este programa desresponsabilizava o poder público da Educação Municipal, dando total autoridade às empresas de utilizarem nossas escolas a serviço dos interesses dos empresários, contratando, colocando outdoor nas escolas, slogan das empresas nos uniformes dos alunos colocando em xeque o que defendemos: a educação pública, gratuita e de qualidade que garanta os concursos públicos e os direitos dos profissionais da educação.



VITÓRIA: MOBILIZAÇÃO DA CATEGORIA

REVOGA LEI QUE PRIVATIZA EDUCAÇÃO EM NITERÓI!



A categoria teve a dimensão do significado dessa lei e foi a LUTA. No dia 25 de agosto, fizemos uma paralisação com ato em frente a Prefeitura, denunciando cada vereador que tinha votado a favor dessa lei.

Após o ato, votamos em assembléia o indicativo de greve para ser discutido com a categoria no dia 01 de setembro, após o seminário de Educação organizado pelo SEPE. No mesmo dia da nossa paralisação, a Câmara votou a revogação da lei, uma vitória importantíssima da nossa mobilização.

Após o seminário da rede, que discutiu profundamente o processo de privatização e retirada de direitos em curso na Educação, foi instaurada a assembléia que deliberou GREVE.

É preciso avançar na luta! O governo ao votar a revogação da lei deixou claro que estaria dando um passo atrás para dar um maior à frente, ou seja: além de não atender as nossas reivindicações, ameaça a Educação de que um ataque maior está para vir. Após dois meses de intensa mobilização, decidimos conjuntamente pela GREVE, e o único culpado é o governo Jorge Roberto que não atende nossas reivindicações.



NOSSO CALENDÁRIO DE LUTA:



Ü 07/09: TODOS À MARCHA DA EDUCAÇÃO:

Junto com o grito dos excluídos faremos a primeira atividade de greve. Após o desfile da Independência, os profissionais da educação ocuparão a Avenida Amaral Peixoto, vestidos de preto e com nossas faixas, que demonstram para a sociedade que a Educação segue em luta, desmascarando o governo Municipal e o descaso com a Educação;



ü 09/09: ASSEMBLÉIAS SETORIAIS PARA ORGANIZAR O MOVIMENTO EM CADA PÓLO:

Após a votação que deliberou a GREVE votamos a realização das assembléias setoriais que fortalecerão a luta em cada pólo.



Ü 10/09: ASSEMBLÉIA GERAL DA REDE DIA ÀS 9HS NO DCE:

Essa assembleia será para deflagrar a greve na rede municipal da educação.



SEM LUTA NÃO HÁ VITÓRIA!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

O Curupira

Folclore

Mais Atividades Sobre Folclore...





Atividades sobre Folclore





PERSONAGENS FOLCLÓRICOS





Projeto Folclore

Atividade de Matemática



Elaboração realizada por meus alunos durante trabalho sobre os meios de transportes.
A proposta foi desenhar e recortar figuras geométricas desenhadas com a ajuda de blocos lógicos em cartolinas coloridas por eles e montar um trem.

Alfabeto Ilustrado

Direitos Já! Educação de Niterói


quarta-feira, 21 de julho de 2010

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Professor temporário: lute pelos seus direitos

Professor temporário: lute pelos seus direitos
Em muitos lugares do Brasil existe uma grande discriminação entre os professores das Redes Públicas de Ensino. Existem aqueles foram efetivados e possuem assegurados os seus direitos e existem os que, ano após ano, são simplesmente contratados pelo prazo do ano letivo para fazer a mesma função dos efetivos, sem se beneficiar dos mesmos direitos.

POR QUE ISSO ACONTECE?

Trata-se de uma questão econômica: é muito mais barato para a Administração Municipal contratar um professor por um prazo determinado limitado ao ano letivo, sem o registro na Carteira de Trabalho e Previdência Social e sem o recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, do que manter regularmente um professor efetivo na função, que recebe salário no período das férias escolares. Além disso, os professores efetivos têm um plano de carreira, incorporam gratificações de tempo de serviço e evolução funcional aos salários e possuem todos os direitos trabalhistas de um servidor estatutário, enquanto os professores contratados recebem apenas as horas trabalhadas no período de seu contrato. A diferença inicial é de 30% só no salário.

COMO FUNCIONA?

A pessoa estuda a vida inteira, se esforça para entrar e se manter numa faculdade para então se formar professor. Em seguida o professor paga uma taxa de inscrição, presta um concurso público e consegue ser aprovado. Mas, em vez de ser efetivado lhe é oferecido um contrato de trabalho com os mesmos deveres e obrigações do professor efetivo, porém com um salário menor e sem os mesmos direitos.Ano após ano o professor segue sua sina: participa da atribuição, faz exames médicos e de laboratório e assina seu contrato, sempre depois do início do ano letivo, geralmente no mês de março, para cumprir um ano letivo inteiro e ser dispensado em dezembro. Como presente de boas festas a prefeitura corta metade do salário de dezembro, que é proporcional aos dias letivos do mês, e o professor deixa de existir, até que assine um novo contrato no ano seguinte.Pela necessidade de trabalho e na esperança da efetivação o professor permanece nessa vida até que se canse e consiga um trabalho melhor ou mais aulas na Rede Estadual.

EXISTE SAÍDA?

A contratação temporária no serviço público foi uma situação criada em 1998 com uma Emenda Constitucional aprovada no Congresso Nacional. Até então, para ingresso em qualquer função no serviço púbico tinha que ter um concurso. Em São José dos Campos, por exemplo, a contratação de professores em prazo determinado segue uma Lei Complementar Municipal que se baseia na brecha aberta pela Emenda Constitucional. A Emenda e a Lei Complementar não especificam a forma como devem ser feitas as contratações temporárias. Outras prefeituras contratam dentro das regras da Consolidação das Leis Trabalhistas e o Estado de São Paulo contrata com as mesmas condições do servidor estatutário. No Vale do Paraíba somente São José dos Campos discrimina os professores dessa forma. Os professores contratados da Rede Estadual, até 2007, possuíam os mesmos direitos trabalhistas que os efetivos e incorporam seu tempo de serviço na condição de contratados aos seus vencimentos, enquanto que os professores contratados da rede municipal recebem salários menores e não possuem os mesmos direitos que efetivos. Logo que foi aprovada a Emenda, diversos partidos políticos entraram com ações na justiça contra a matéria e após muitos anos de tramitação do processo o Supremo Tribunal Federal suspendeu o efeito da Emenda Constitucional e determinou que os novos contratos de trabalho não podem ser feitos nesse sistema.Como se trata de uma decisão que não cabe recurso a administração pública que a descumprir pode até ser punida, o que quer dizer que se a prefeitura de São José dos Campos não regularizar a situação efetivando os professores concursados o prefeito pode até perder o seu cargo.

E OS MEUS DIREITOS?

Todo professor contratado tem o direito ao registro do seu contrato em carteira de trabalho e ao recolhimento do seu fundo de garantia (FGTS). Como a prefeitura de São José dos Campos deixou de assinar as carteiras e recolher o fundo de garantia por volta do ano de 2003, todo o professor contratado tem direito a receber o FGTS referente ao período de seu contrato, acrescido de uma multa por não ter sido depositado na data correta. No entanto, esse direito deve ser exigido na justiça, já que a prefeitura não demonstra nenhum respeito pela situação dos professores e não tem interesse em pagar essa dívida.

O QUE FAZER ENTÃO?

Inicialmente, você professor contratado deve saber que a sua contratação segue rigorosamente a lista de classificação do último concurso público e posteriormente, esgotados os classificados, a lista de classificação por tempo de serviço na rede municipal. Portanto, jamais se sinta intimidado pelos argumentos de alguns elementos da equipe de liderança de sua escola de que esse tipo de manifestação pode prejudicar o seu próximo contrato.Em seguida, você deve montar o seu dossiê.

1) Requeira, se necessário por escrito, cópias de seus contratos de trabalho na prefeitura, secretaria ou escola em que você trabalha, referentes ao período em que você trabalhou (eles são obrigados a lhe fornecer isso);

2) Requeira por escrito a cópias das folhas de registro de ponto, no mesmo orgão, referentes aos períodos e escolas em que você trabalhou (eles também são obrigados e lhe fornecer);

3) Tire cópias de seus contracheques, crachá e documentos pessoais;

4) Procure a Caixa Econômica Federal e retire um extrato simplificado do recolhimento de seu fundo de garantia relativo ao período em que você tem vínculo com a prefeitura. Provavelmente, se você nunca trabalhou na iniciativa privada, você não estará cadastrado. Caso esteja cadastrado, o depositante não será a Prefeitura. Isso serve para provar que o seu fundo de garantia não está sendo recolhido;

5) Requeira por escrito as cópias dos atestados e declarações médicas que justificaram suas ausências no período. Na guia de licença médica o enquadramento funcional dos contratados é CLT, o que serve de argumento para reforçar a ação;

6) Requeira por escrito a grade de aulas de cada escola em que você trabalhou. De acordo com a CLT, as “janelas” existentes na grade de aula devem ser pagas como aulas dadas, justamente para impedir esse abuso contra o professor;

7) Procure um advogado para ingressar com ação judicial contra o orgão a que você está vinculado. Ele terá mais informações e poderá solicitar outros documentos. O sindicado dos servidores pode indicar um advogado.

Lembre-se que mesmo que você não tenha a intenção de entrar na justiça hoje, se um dia você mudar de idéia esses documentos farão a diferença. Pela legislação brasileira o período da causa é limitado a cinco anos antes da data do início da ação na justiça, o que quer dizer que quanto mais você demorar, mais dinheiro irá perder.

sábado, 26 de junho de 2010